NICOLETA PECELI

 

Recorda-te de mim

 

Não gosto de dizer adeus, não gosto de me despedir

Aos poucos serei apenas o ruído que te cerca

Nas noites em que a saudade espera o fim.

Não gosto de dizer adeus, não gosto de me despedir

O tempo congelou as horas, para que os meus versos pudessem chegar a ti.

O corpo cansado aproxima-se da janela

Na rua um velho candeeiro sonha com a luz do dia

Há tanta escuridão a cercá-lo

Há tanta solidão no seu existir

Nem ele quer dizer adeus, nem ele se quer despedir.

A vida revela os seus mistérios na hora em que o corpo está prestes a partir.

A próxima viagem segue as tuas lágrimas

Recorda-te de mim.