Adela Figueroa Panisse

LIGADA A TI 

 

Ligada estou a ti.

Colada fortemente a tua esperança,

como se liga no inverno

a geada

e a marugia nas folhas do loureiro.

Fui nadar e fiquei presa

nas oucas do outono da tua praia.

Enguedelhada

Na traição do escuro argaço 

com que se faz a balumada,

que fertiliza e fecunda as tuas agras.

 Nos fundos dos teus mares

pretos, piagos e abafantes,

prendida fiquei da tua olhada.

Entre as guedelhas de Poseidão nascidas

minhas pernas e mãos estonteadas

a procura inutil dum peirão a que abeirar-se, 

ancoradouro seguro não o acharam. 

E fiquei nas águas à valga.

 

Fronte a mim estendia-se a praia 

Das areais douradas,

E eu sem poder alcançá-la.


Páxina 9