Luís Mazás

O PERSEGUIDOR DE ENIGMAS

(1968)

Luís Mazás

 

Penetrar na literatura

Como diz Kafka, substituir o eu pelo ele

Começar uma viagem fascinante

para a essência do poema

 

Descrever as lembranças dum poeta

que foi jovem

a escutar o silêncio fértil

no interior da casa valeira da família

um reduto sentimental da arte

um relatório de canções ancestrais de lume

 

Eis histórias e vivências que o tempo apagou

como o amor diluído no Atlântico,

um sábado de madrugada,

escutando os últimos acordes da noite

 

Purple Haze

No seu coração late

a Stratocaster de Hendrix

 

E um grito desesperado

faz despertar as sombras

nas ruas molhadas:

Narcisos nos espelhos da noite

 

Dentro dum livro

de canções de Bob Dylan

há um panfleto descolorido,

consignas que falam

da luta obreira,

aquele 10 de Março 1972

 

As vozes interferidas do passado surgem

quando na biblioteca do seu pai

soa um piano desafinado

entre livros que ninguém lerá

 

Persegue um enigma oculto,

entre versos de guerras perdidas,

Elege um poema ao azar

entre tanta dor acumulada

amor

distância silenciosa

já é tarde...

já é tarde

 

É preciso abandonar a casa dos antepassados

cortar as raízes

apodrecidas na terra húmida

 

E chove lá fora no molhado

 

Páxina 45